Pacheco recua e volta a baixar a cabeça para o STF Pacheco recua e volta a baixar a cabeça para o STF Pacheco recua e volta a baixar a cabeça para o STF Pular para o conteúdo principal

Pacheco recua e volta a baixar a cabeça para o STF

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), proferiu um discurso buscando uma aproximação conciliatória com o Supremo Tribunal Federal (STF) em relação à polêmica tese do marco temporal para demarcação de terras indígenas. Essa posição foi expressada após questionamentos sobre a decisão do senador Davi Alcolumbre (União-AP) de pautar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o tema na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.
"Devemos confiar na iniciativa do Supremo Tribunal Federal e, ao invés de meramente considerar inconstitucional o que foi feito no Congresso Nacional, devemos inaugurar um ambiente de conciliação. É crucial sentarmos à mesa para buscar uma composição baseada no bom senso", declarou Pacheco durante o evento. A proposta mencionada por Alcolumbre, que está agendada para discussão na CCJ nesta quarta-feira, 10 de julho, foi elaborada pelo senador Dr. Hiran (PP-RR) e conta com o apoio de outros 26 senadores. Essa PEC propõe que os povos indígenas somente possam reivindicar terras que ocupavam ou disputavam até a data da promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988 - a conhecida tese do marco temporal.
A tese do marco temporal já foi objeto de um projeto de lei aprovado tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado Federal. No entanto, o texto foi parcialmente vetado pelo presidente Lula e posteriormente teve seu veto derrubado pelos parlamentares em dezembro do ano passado. Agora, os senadores buscam garantir a inclusão dessa regra diretamente na Constituição. "A PEC é uma iniciativa respeitável do senador Dr. Hiran, que está na pauta da CCJ. Entretanto, neste momento, precisamos buscar uma solução. Estou confiante em uma solução consensuada pelo STF", afirmou Pacheco.
O Supremo Tribunal Federal já formou maioria pela inconstitucionalidade do marco temporal para as demarcações de terras indígenas. Em agosto, está previsto o início dos trabalhos de uma comissão de conciliação no STF para tratar dessas questões complexas. "É plenamente viável que se estabeleça uma mesa de conciliação no ambiente do Judiciário, baseada em critérios de consensualismo e bom senso. É natural que os povos originários reivindiquem suas terras, assim como é natural que aqueles que há anos trabalham e produzem nessas terras defendam seus direitos. Cabe à Justiça decidir cada caso com base na justiça e na razoabilidade", destacou Pacheco.
A posição do presidente do Senado reflete um esforço para encontrar um equilíbrio entre os direitos dos povos indígenas e os interesses dos produtores rurais, que frequentemente se veem em lados opostos dessa questão delicada. A busca por uma conciliação não é apenas uma estratégia política, mas uma tentativa de assegurar que decisões importantes para o país sejam tomadas de forma ponderada e respeitosa. Enquanto isso, o senador Davi Alcolumbre, que busca se reeleger presidente do Senado em fevereiro do próximo ano, parece estar utilizando a pauta da PEC do marco temporal como um gesto político para atrair apoio da bancada da oposição e reforçar sua base parlamentar. "A inclusão da PEC na agenda da CCJ é uma decisão estratégica que visa não apenas debater um tema crucial para o futuro das demarcações de terras indígenas, mas também para posicionar Alcolumbre como um líder capaz de conduzir debates complexos e sensíveis", analisou um especialista em direito constitucional.

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado