Exilada, juíza Ludmila denuncia Moraes a mais um Congresso internacional Exilada, juíza Ludmila denuncia Moraes a mais um Congresso internacional Exilada, juíza Ludmila denuncia Moraes a mais um Congresso internacional Pular para o conteúdo principal
;

Exilada, juíza Ludmila denuncia Moraes a mais um Congresso internacional

A denúncia feita pela juíza Ludmila Lins Grilo ao Congresso da Argentina levanta uma série de questões sobre a situação dos direitos humanos e o funcionamento da justiça no Brasil. Sua participação na audiência pública organizada pela deputada María Celeste Ponce trouxe à tona a preocupação com os abusos de autoridade e a violação de direitos fundamentais, especialmente no contexto da atuação do ministro Alexandre de Moraes. Pontos-chave da Denúncia: Inquérito Inconstitucional de 2019: Ludmila Lins Grilo destacou que os atos arbitrários começaram em 2019, quando Alexandre de Moraes foi designado para conduzir um inquérito que, segundo ela, foi instaurado de forma inconstitucional. No Brasil, a instauração de inquéritos é de competência da polícia ou do Ministério Público, não do Judiciário. Perseguição a Críticos da Suprema Corte:
O inquérito de 2019 foi direcionado a perseguir críticos da Suprema Corte, resultando em perdas de redes sociais, buscas e apreensões, e até prisões. Lins Grilo relatou que, após denunciar esses abusos, passou a sofrer intimidações, assassinato de reputação, perseguição administrativa, censura e aposentadoria compulsória. Perseguição e Destruição Financeira: Segundo a juíza, Alexandre de Moraes buscava destruir seus inimigos, inclusive por meio da destruição financeira, o que afetou não apenas a ela, mas também a outros críticos do Judiciário. Pedido de Asilo nos EUA: Após a eleição de Lula, Ludmila Lins Grilo se mudou para os Estados Unidos, onde solicitou e obteve asilo político. Ela continua a expor o que considera ser uma ditadura no Brasil. Casos de Presos Políticos: A juíza mencionou o caso do deputado Daniel Silveira, preso por declarações que, segundo ela, configuram "crime de palavra", algo inexistente para parlamentares no Brasil. Ela também fez referência às vítimas dos eventos de 8 de janeiro e outros indivíduos que, de acordo com seu relato, estão presos por ordem de Moraes sem justificação adequada. Implicações da Denúncia: Atenção Internacional: A audiência no Congresso da Argentina e a denúncia da juíza Ludmila Lins Grilo podem atrair atenção internacional para a situação dos direitos humanos e a liberdade de expressão no Brasil. A discussão sobre o uso de inquéritos e ações judiciais para silenciar críticos é um tema sensível que pode afetar a imagem do país no exterior. Aumento de Pedidos de Asilo: O aumento dos pedidos de refúgio e asilo de brasileiros na Argentina indica uma crescente preocupação com a perseguição política no Brasil. Isso pode gerar debates sobre a necessidade de reformas judiciais e de políticas de direitos humanos no país. Impacto Político: A denúncia pode influenciar a opinião pública e a dinâmica política interna, especialmente se a narrativa de abusos de autoridade ganhar força. A pressão sobre o Judiciário e o governo pode aumentar, exigindo maior transparência e accountability nas ações judiciais. Reflexão: O relato da juíza Ludmila Lins Grilo destaca a importância de um sistema judicial imparcial e do respeito aos direitos humanos como pilares de uma democracia saudável. A busca por justiça e a luta contra a arbitrariedade são essenciais para a manutenção da confiança da população nas instituições. O caso também sublinha a necessidade de vigilância contínua sobre o equilíbrio de poderes e a proteção das liberdades fundamentais no Brasil.
 

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado