EUA pode tomar medidas extremas contra o Brasil por atos de Moraes EUA pode tomar medidas extremas contra o Brasil por atos de Moraes EUA pode tomar medidas extremas contra o Brasil por atos de Moraes Pular para o conteúdo principal

EUA pode tomar medidas extremas contra o Brasil por atos de Moraes

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) alertou, neste sábado (22), em suas redes sociais, que o Brasil pode ser alvo de duras sanções dos Estados Unidos por abusos de direitos humanos, de forma semelhante ao ocorrido com a Bielorrússia. As eventuais medidas dependem do avanço da investigação do Congresso Americano sobre supostas violações do Judiciário brasileiro contra as liberdades de expressão e de imprensa e as prerrogativas parlamentares. O deputado americano Chris Smith, do Partido Republicano, enviou ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), uma carta informando sobre "relatos alarmantes" de perseguição política, falta de liberdade de expressão e má conduta judicial no Brasil. Smith, que preside o Subcomitê de Direitos Humanos da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados dos EUA, mencionou indícios de "graves violações de direitos humanos" pelo Estado brasileiro. Na correspondência enviada na semana passada, Smith deu um prazo de 10 dias para que Moraes responda a sete questionamentos sobre supostas violações às liberdades individuais e coletivas, à imunidade parlamentar, e uma possível invasão da jurisdição dos EUA. Cópias da carta foram enviadas aos presidentes do STF, Luís Roberto Barroso; do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cármen Lúcia; da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL); e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Os questionamentos de Smith baseiam-se em uma audiência realizada em 7 de maio, com a participação de parlamentares brasileiros, como Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Bia Kicis (PL-DF) e Gustavo Gayer (PL-GO), do ex-deputado Deltan Dallagnol, além dos jornalistas Allan dos Santos e Paulo Figueiredo, ambos exilados nos EUA. Na oportunidade, também foram avaliados os desdobramentos do escândalo do Twitter Files no Brasil. Perguntas a Moraes tratam de suposta invasão na jurisdição dos EUA As perguntas do congressista começam indagando sobre a existência de jornalistas ou indivíduos sob censura prévia e restritiva por ordem de Moraes, bem como sobre o fechamento de meios de comunicação e a restrição de jornalistas. Em seguida, questionam sobre sanções aplicadas a parlamentares brasileiros e se houve observância do devido processo legal, incluindo notificações adequadas para residentes nos EUA. Smith também pergunta sobre repressão transnacional, como o uso de agências dos EUA ou organizações internacionais como a Interpol para assediar indivíduos, e se Moraes solicitou dados ou emitiu ordens contra empresas ou indivíduos fora de sua jurisdição. Por fim, quer saber se o juiz exigiu que empresas ou indivíduos dos EUA cumprissem ordens de legalidade questionável sob a lei brasileira, incluindo ameaças legais, multas ou bloqueios. Para Eduardo Bolsonaro, Moraes tem duas opções: ignorar o questionamento do Congresso Americano, ou respondê-lo de forma correta. “Caso não responda em 10 dias úteis, o processo legal nos EUA seguirá adiante, reforçando a possibilidade de sanções contra o Brasil ou autoridades brasileiras”, observou. Caso responda, ele pode infringir a lei americana se mentir ou confirmar alegações que motivariam sanções. “Ele está numa sinuca de bico e pode arrastar muita gente”, disse. De toda forma, o deputado destaca que todas as etapas do devido processo legal estão sendo observadas, ao contrário do que ocorre na Justiça brasileira. Deputado dos EUA que questiona Alexandre de Moraes é moderado, destaca Eduardo Eduardo Bolsonaro também negou que o deputado Chris Smith seja um radical de direita. Ele afirmou que Smith nunca se encontrou com o ex-presidente Jair Bolsonaro e não faz parte da ala mais alinhada com Donald Trump, tendo votado com a esquerda em alguns temas, como limites ao porte de armas. “Trata-se de um político moderado, reeleito desde 1983, prestigiado e articulador de leis que sancionam outros países”, acrescentou. O deputado acredita que o processo é irreversível, tocando em um tema caro aos americanos, a liberdade de expressão, especialmente no contexto eleitoral dos EUA, onde Trump é favorito. “Não é algo pessoal contra Alexandre de Moraes, é uma abordagem institucional, que alcançará todos que executam suas ordens. Ontem foi a Bielorrússia, amanhã pode ser o Brasil”, advertiu. O Departamento de Estado dos EUA e o Tesouro Americano anunciaram sanções econômicas contra o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko e outras entidades do país entre 2022 e 2023, por corrupção e violações de direitos humanos.

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado