Estadão critica tom apocalíptico de Cármen Lúcia em posse no TSE Estadão critica tom apocalíptico de Cármen Lúcia em posse no TSE Estadão critica tom apocalíptico de Cármen Lúcia em posse no TSE Pular para o conteúdo principal
;

Estadão critica tom apocalíptico de Cármen Lúcia em posse no TSE

A posse da ministra Cármen Lúcia como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (3) gerou controvérsia após críticas do jornal O Estado de São Paulo em seu editorial intitulado "Cármen Lúcia e a Eleição Como Juízo Final". O veículo expressou desagrado com o tom adotado pela ministra em seu discurso, que foi descrito como escatológico e exaltado, sugerindo uma abordagem de "tribunal da verdade" para as próximas eleições.
O jornal destacou que, durante a posse, Cármen Lúcia utilizou uma retórica inflamada, repleta de invectivas e frases de efeito, mencionando palavras como "mentira", "ódio" e "medo" repetidamente. O editorial ironizou o discurso da ministra, sugerindo que faltaram apenas termos como "apocalipse" e "juízo final". Em contraponto, o Estadão defendeu a liberdade de expressão como o melhor antídoto contra a desinformação. Citando pesquisas empíricas, o jornal argumentou que informações corretivas e rotulagem de conteúdo disputado são mais eficazes na neutralização da desinformação do que uma abordagem paternalista por parte da Justiça Eleitoral. O editorial mencionou mecanismos tecnológicos, como os adotados pela Wikipédia e pelo X, como exemplos de como a cooperação com instituições independentes e plataformas digitais pode ser mais eficaz do que uma abordagem de censura prévia. O jornal sugeriu que a Justiça Eleitoral deveria incentivar esse tipo de cooperação para promover um debate público mais robusto e qualificado. Entretanto, o Estadão observou uma tendência preocupante por parte do Judiciário de arbitrar o que pode e não pode ser dito, concedendo a si mesmo o poder de remover conteúdos sem o aval do Ministério Público. O jornal alertou para os riscos dessa abordagem, destacando a importância de uma imprensa diversificada e robusta na promoção da democracia e no combate à desinformação. O editorial também contrastou a postura atual da ministra Cármen Lúcia com suas posições anteriores. O jornal mencionou sua defesa da censura prévia de um documentário sobre o atentado a Jair Bolsonaro em 2018 e sua votação a favor da publicação de biografias não autorizadas em 2015. O Estadão questionou a mudança de postura da ministra e alertou para os perigos de uma abordagem mais restritiva em relação à liberdade de expressão. O editorial do O Estado de São Paulo encerrou com uma reflexão sobre o papel da imprensa e da sociedade na defesa da liberdade de expressão e na promoção de um debate público saudável e democrático. O jornal concluiu que o cala-boca já morreu e que é fundamental resistir a qualquer tentativa de cerceamento da liberdade de expressão, especialmente em um contexto eleitoral. O debate em torno do discurso da ministra Cármen Lúcia e das questões levantadas pelo editorial do Estadão destaca a importância de uma imprensa livre e vigilante na promoção da transparência e da accountability no processo democrático. Resta agora aguardar para ver como as instituições e a sociedade civil irão responder a essas questões nos próximos meses, especialmente à medida que nos aproximamos das eleições.

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado