A manobra de Arthur Lira que pode ajudar Bolsonaro A manobra de Arthur Lira que pode ajudar Bolsonaro A manobra de Arthur Lira que pode ajudar Bolsonaro Pular para o conteúdo principal
;

A manobra de Arthur Lira que pode ajudar Bolsonaro

A decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), de reavivar um projeto de lei que busca invalidar delações feitas por réus presos tem gerado controvérsia e debate intenso no cenário político.
Originalmente proposto em 2016 pelo ex-deputado Wadih Damous (PT-RJ), o projeto visava anular delações de empreiteiros presos no âmbito da Operação Lava-Jato, que implicavam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Agora, o foco da medida parece ter mudado, com o principal beneficiário potencial sendo o ex-presidente Jair Bolsonaro. O projeto ressurgiu num contexto em que o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, fez delações que envolvem o ex-presidente em várias investigações conduzidas pela Polícia Federal. Entre as acusações estão a participação em uma suposta tentativa de golpe, falsificação de cartões de vacina e desvio de joias da Presidência. Na quarta-feira, Lira incluiu um requerimento de urgência na pauta para retomar a tramitação do projeto de Damous, pegando muitos deputados de surpresa, especialmente os do PT, que agora se veem numa posição paradoxal, considerando que originalmente apoiavam a proposta. Lira, em uma conversa informal no café da Câmara, ironizou o apelo dos petistas que pediram o adiamento da votação, destacando a mudança de posição deles sobre o projeto. Esta manobra legislativa, se bem-sucedida, poderia ter implicações significativas para o andamento de investigações e processos envolvendo figuras políticas de destaque. O desenrolar desta situação será crucial para entender o impacto que pode ter tanto no cenário político atual quanto no futuro legal dos envolvidos.

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado