Moraes manda soltar todos os oficiais da PM que ainda estavam presos Moraes manda soltar todos os oficiais da PM que ainda estavam presos Moraes manda soltar todos os oficiais da PM que ainda estavam presos Pular para o conteúdo principal
;

Moraes manda soltar todos os oficiais da PM que ainda estavam presos

A decisão do ministro Alexandre de Moraes de revogar as prisões do major Flávio Silvestre de Alencar e do tenente Rafael Pereira Martins marca um ponto importante no processo judicial relacionado aos atos de 8 de janeiro.
Ambos oficiais, que eram os últimos dos sete integrantes da cúpula da Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) a estarem presos preventivamente, agora terão que cumprir medidas restritivas, como o uso de tornozeleira eletrônica, apresentação semanal à Justiça e a proibição de deixar o país. A decisão de Moraes se baseia no fato de que a fase instrutória do processo foi concluída, o que altera o cenário e elimina a justificativa para a manutenção das prisões preventivas. A Procuradoria-Geral da República (PGR) concordou com a revogação das detenções, indicando que não há mais risco de reiteração dos crimes ou de interferência na produção de provas. Os oficiais continuam na ativa da PM-DF, enquanto outros envolvidos no caso, como os coronéis Klépter Rosa e Fábio Augusto Vieira (ambos ex-comandantes da PM-DF), coronel Jorge Eduardo Naime, coronel Paulo José Ferreira de Souza Bezerra e coronel Marcelo Casimiro Vasconcelos Rodrigues, também respondem pelo caso no STF. Eles são acusados de omissão e outros crimes graves, incluindo a abolição violenta do Estado Democrático de Direito e golpe de Estado, além de danos qualificados e deterioração de patrimônio tombado. Essa decisão é mais um episódio na complexa trama judicial envolvendo as responsabilidades pelos eventos de 8 de janeiro, que continua a se desenrolar com consequências significativas para os envolvidos e para o cenário político do Brasil.

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado