Lewandowski coloca sigilo e "resolve" o problema das fugas dos presídios Lewandowski coloca sigilo e "resolve" o problema das fugas dos presídios Lewandowski coloca sigilo e "resolve" o problema das fugas dos presídios Pular para o conteúdo principal
;

Lewandowski coloca sigilo e "resolve" o problema das fugas dos presídios

Após solicitação do site Metrópoles, o Ministério da Justiça e Segurança Pública se recusou a divulgar os dados de fugas, alegando que essa informação é de caráter "reservado" e será mantida em sigilo pelos próximos cinco anos. Essa negativa foi confirmada em todas as instâncias da pasta e referendada pelo ministro Ricardo Lewandowski.
A recusa em divulgar esses dados levanta questionamentos sobre a transparência e a eficiência do órgão responsável pela segurança pública do país. O acesso a informações sobre fugas é crucial para entender a situação carcerária e para garantir que as autoridades estejam tomando as medidas necessárias para evitar a evasão de detentos. O Ministério da Justiça e Segurança Pública justifica sua posição, alegando que a divulgação desses dados poderia colocar em risco as instituições. No entanto, críticos argumentam que a falta de transparência apenas alimenta especulações e mina a confiança da população nas autoridades responsáveis pela segurança pública. A decisão de manter os dados em sigilo também levanta preocupações sobre a responsabilidade do governo em lidar com questões relacionadas ao sistema prisional. A divulgação de informações sobre fugas não apenas permite uma avaliação mais precisa da situação, mas também promove a prestação de contas por parte das autoridades. Além disso, a recusa em divulgar os dados de fugas pode ser interpretada como um atestado de incompetência por parte do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Em vez de enfrentar os desafios de forma transparente e proativa, o órgão parece estar evitando lidar com a realidade da situação carcerária no país. Essa falta de transparência também suscita dúvidas sobre a eficácia das políticas públicas implementadas pelo governo para lidar com questões de segurança. Sem acesso a informações confiáveis, torna-se difícil avaliar o impacto das medidas adotadas e identificar áreas que precisam de melhorias. A sociedade tem o direito de saber como o dinheiro dos impostos está sendo utilizado e se as autoridades estão cumprindo adequadamente seu papel na manutenção da segurança pública. A recusa em divulgar os dados de fugas mina esse direito fundamental e levanta sérias questões sobre a transparência e a accountability do governo. Diante dessa situação, é essencial que haja pressão da sociedade civil e dos meios de comunicação para garantir que as autoridades sejam responsabilizadas por suas ações. A transparência é um princípio fundamental da democracia e é fundamental para garantir a confiança dos cidadãos nas instituições governamentais. Em última análise, a recusa do Ministério da Justiça e Segurança Pública em divulgar os dados de fugas representa um retrocesso para a transparência e a prestação de contas no Brasil. É imperativo que as autoridades reconsiderem essa decisão e se comprometam a fornecer informações claras e acessíveis ao público sobre questões de segurança pública

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado