Mesmo com a bajulação Macron diz não a Lula Mesmo com a bajulação Macron diz não a Lula Mesmo com a bajulação Macron diz não a Lula Pular para o conteúdo principal
;

Mesmo com a bajulação Macron diz não a Lula

Em São Paulo, no segundo dia de agenda no Brasil, o presidente francês Emmanuel Macron rejeitou o acordo entre União Europeia e Mercosul, e afirmou que as negociações, como estão hoje, são "péssimas" para o Brasil e para a França. Macron participou, na capital paulista, do Fórum Econômico Brasil-França, que aconteceu na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
No encerramento do encontro com empresários franceses e brasileiros, o presidente francês acrescentou que o acordo "não pode ser defendido" e indicou que o texto estaria obsoleto diante de desafios atuais: — O acordo com o Mercosul tal qual está sendo negociado é péssimo para vocês (Brasil) e para a gente, também porque ele começou a ser negociado há vinte anos — afirmou Macron — Você tentar reanimar uma chama antiga não é a mesma coisa. É preciso reconstruir (o acordo). Para o presidente francês, o texto precisaria ser redesenhado para estar alinhado com a emergência climática e as metas atuais de descarbonização dos países da Europa. Ele acrescentou que, da forma como está, a abertura comercial entre os blocos iria favorecer a entrada no mercado europeu de produtos de "preço baixo", que iriam competir de forma desigual com industriais e agricultores que têm aplicado padrões de descarbonização. — Esse acordo não pode ser defendido. Eu não defendo.— acrescentou. — Por favor, vamos deixar para trás um acordo de vinte anos e vamos nos concentrar em um novo acordo, um acordo responsável, com a biodiversidade no centro, e que permita a reciprocidade. O Fórum contou com a presença do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin. Em discurso feito antes de Macron, Haddad afirmou que ainda há tempo para aprovação do acordo, que tem a França como um dos principais países que se opõem ao texto. "Parcerias cruzadas" Apesar de deixar clara a rejeição ao acordo UE-Mercosul, o mandatário francês defendeu que Brasil e França fortaleçam seus laços comerciais e de investimentos, com "parcerias cruzadas" entre os dois países que sejam pautadas pelo objetivo comum de uma economia mais descarbonizada. Macron pediu que as empresas brasileiras acreditam mais na França, com a vantagem de poderem ter, no país, uma porta de entrada para o mercado europeu. Ele ressaltou que os investimentos de empresas brasileiras na França não são menores do que o de franceses no Brasil. — As empresas brasileiras deveriam acreditar mais na frança, e através da frança acreditar na Europa. Tenho certeza que temos uma agenda comum para ajudar a superar os grandes problemas que se devem às mudanças climáticas e que nos levam a fazer uma transição energética. Plano de 1 bilhão de euros Na terça-feira, quando chegou ao Brasil, Macron e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinaram um acordo para investimento na economia da Amazônia. Os dois se reuniram em Belém, cidade que será sede da Conferência Mundial do Clima, a COP30. O plano tem a meta de arrecadar 1 bilhão de euros (cerca de R$5,4 bilhões) para projetos na região, pelos próximos quatros anos e envolve uma parceria técnica entre o BNDES, o Banco de Desenvolvimento da Amazônia e a Agência Francesa de Desenvolvimento. Em São Paulo, Macron também citou oportunidades para os dois países, durante a realização do G20, no Rio de Janeiro, este ano, e da COP30, no ano que vem. Segundo ele, apesar de fóruns diplomáticos, os encontros deveriam servir para incentivar investidores a se dirigirem para atividades de baixo carbono. — A reorientação das finanças é indispensável e urgente.— disse, ao defender que fosse construída uma nova agenda de finanças internacionais, que tenha combate a desigualdade e descarbonização como foco. Depois do evento na Fiesp, Macron foi para inauguração do Instituto Pasteur, na USP. Depois, ele se dirigiu para encontro com personalidades da cultura e do esporte, promovido pela Fundação Gol de Letra e com a presença do ex-jogador de futebol Raí de Souza Vieira. A próxima e última parada de Macron no país é Brasília, onde ele será recebido com honras de chefe de Estado e participará de uma coletiva de imprensa ao lado do presidente Lula.
Com informações Folha de PE

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado