Deputado do Amazonas surpreende e dá voz de prisão a PMs durante abordagem Deputado do Amazonas surpreende e dá voz de prisão a PMs durante abordagem Deputado do Amazonas surpreende e dá voz de prisão a PMs durante abordagem Pular para o conteúdo principal

Deputado do Amazonas surpreende e dá voz de prisão a PMs durante abordagem

O deputado federal Amom Mandel (Cidadania-AM) deu voz de prisão a 4 policiais militares durante uma abordagem do policiamento especializado da PM-AM (Polícia Militar do Amazonas) na zona leste de Manaus. O congressista diz que a ação dos militares foi “truculenta”. O caso aconteceu na noite da última 5ª feira (4.jan.2024).

Segundo a SSP-AM (Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas), a abordagem se deu no âmbito de uma “operação contínua das forças de segurança para a redução de índices criminais no Estado”. A corregedoria-geral do órgão acompanha o caso. Também foi aberto um inquérito policial para investigar a acusação.


Em nota oficial, a SSP-AM informou que “o carro em que o deputado estava, dirigido pela namorada do parlamentar, trafegava com as luzes apagadas, janelas em insulfilme 100% e realizando a troca de faixa de forma desordenada, o que chamou a atenção de uma viatura que patrulhava a área”.

A secretaria disse que os militares deram sinais luminosos e sonoros para que o congressista e sua mulher parassem o veículo, o que teria sido ignorado. “Nesse momento o deputado desembarcou do carro e passou a questionar e reprovar a atuação dos agentes, alegando que não poderia ser abordado daquela forma”, declarou.

Ainda de acordo com o órgão, Amom Mandel não teria aceitado “as justificativas apresentadas para a abordagem” e decidiu dar voz de prisão aos militares por “suposto abuso de autoridade”.


O congressista teria ligado para o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Vinicius Almeida, para questionar a abordagem dos policiais.

“Nem mesmo a chegada do subcomandante geral da Polícia Militar e do próprio secretário de Segurança amenizou a situação e, atendendo ao pedido do deputado, os envolvidos foram encaminhados à uma delegacia, onde foram ouvidos pela delegada de plantão, que não encontrou elementos para prender em flagrante os policiais”, declarou a SSP-AM, em nota.

TRUCULÊNCIA

Em nota oficial, o deputado Amom Mandel disse que deu voz de prisão aos policiais pela abordagem “truculenta”. Declarou que os militares apontaram uma arma de fogo contra o rosto da sua mulher.


O congressista falou que “questionou os motivos para estarem apontando a arma para o rosto da namorada, os policiais disseram: assim é a abordagem da Rocam”.

Ele também negou que o veículo estava trocando de faixa de “forma desordenada”, conforme relatado pela SSP-AM em nota.

“A via na qual a esposa de Amom estava dirigindo está em obras, o que significa que só está com uma pista aberta, então não teria como ela trocar de faixa continuamente”, afirmou.

Amom ainda relatou que passou a “sofrer ameaças e intimidações nas últimas semanas por causa de uma denúncia à Polícia Federal”, em 13 de dezembro, “sobre o suposto envolvimento de membros da alta cúpula da Segurança Pública do Amazonas com organizações criminosas”.


O congressista disse que decidiu “trazer a público o caso como tentativa de se resguardar” das supostas ameaças e intimidações sofridas. Declarou ter associado à acusação feita à PF (Polícia Federal) a abordagem da última 5ª feira (4.jan).

“Esse inquérito irá apurar tanto o envolvimento da alta cúpula da segurança pública com facções criminosas, quanto as intimidações contra o parlamentar. As medidas cabíveis foram tomadas e a investigação dos fatos será feita de acordo com os trâmites legais”, afirmou.

Eis a íntegra da nota do deputado Amom Mandel:


“O deputado federal Amom Mandel (Cidadania-AM) passou a sofrer ameaças e intimidações nas últimas semanas por causa de uma denúncia à Polícia Federal sobre o suposto envolvimento de membros da alta cúpula da Segurança Pública do Amazonas com organizações criminosas. Junto a esse material, também foram incluídas as informações sobre uma abordagem policial que ocorreu na última quinta-feira, 4 de janeiro de 2024, com o parlamentar e sua companheira em uma das principais avenidas de Manaus (AM).

“A denúncia à PF, que ocorreu no dia 13 de dezembro de 2023, foi mantida em sigilo por questões de segurança. Nas semanas seguintes, o deputado sofreu ameaças, insinuações e intimidações de diversas vertentes, além de ter sido alvo, junto com a sua companheira, de uma abordagem policial truculenta. Por esse motivo, Amom decidiu trazer a público o caso, como tentativa de se resguardar. Sendo assim, é falsa a afirmativa do secretário de Segurança Pública do Amazonas, Cel Marcos Vinícius, dita em coletiva, de que o deputado fez uma cortina de fumaça.

“A abordagem policial truculenta foi relatada à Polícia Federal e foi apensada como parte da investigação anterior. Esse inquérito irá apurar tanto o envolvimento da alta cúpula da segurança pública com facções criminosas, quanto as intimidações contra o parlamentar. As medidas cabíveis foram tomadas e a investigação dos fatos será feita de acordo com os trâmites legais”.

Eis a íntegra da nota da SSP-AM:

“A Secretaria de Estado de Segurança Pública esclarece a situação protagonizada pelo deputado federal Amom Mandel (Cidadania-Am) ao dar voz de prisão à uma guarnição e ao subcomandante do Policiamento Especializado da Polícia Militar do Amazonas, após ser parado em uma abordagem policial de rotina na zona leste de Manaus. O fato aconteceu no noite de quinta-feira (04/01), durante operação contínua das forças de segurança para a redução de índices criminais no estado.

“O carro em que o deputado estava, dirigido pela namorada do parlamentar, trafegava com as luzes apagadas, janelas em insulfilme 100% e realizando a troca de faixa de forma desordenada, o que chamou a atenção de uma viatura que patrulhava a área.

“Após ignorar os diversos sinais sonoros e luminosos emitidos pela viatura para que encostasse o veículo, a polícia conseguiu realizar a abordagem. Nesse momento o deputado desembarcou do carro e passou a questionar e reprovar a atuação dos agentes, alegando que não poderia ser abordado daquela forma.

“Sem aceitar as justificativas apresentadas para a abordagem, Amom Mandel decidiu dar voz de prisão por suposto abuso de autoridade aos quatro policiais que estavam na viatura e ao subcomandante do Policiamento Especializado, que havia ido ao local acompanhar a ocorrência após o deputado ligar para o secretário de Segurança, Vinicius Almeida, cobrando explicações pelo ocorrido.

“Nem mesmo a chegada do subcomandante geral da Polícia Militar e do próprio secretário de Segurança amenizou a situação e, atendendo ao pedido do deputado, os envolvidos foram encaminhados à uma delegacia, onde foram ouvidos pela delegada de plantão, que não encontrou elementos para prender em flagrante os policiais. Um inquérito para apurar o caso foi aberto e a Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas, também, acompanha o caso”.

Poder 360
VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM DOAÇÕES DE QUALQUER VALOR ATRAVÉS DO PIX:EMAIL:JORNALDADIREITAONLINE@OUTLOOK.COM

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n