Confederação Israelita apresenta notícia-crime após fala de Genoino Confederação Israelita apresenta notícia-crime após fala de Genoino Confederação Israelita apresenta notícia-crime após fala de Genoino Pular para o conteúdo principal

Confederação Israelita apresenta notícia-crime após fala de Genoino

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) apresentou uma notícia-crime ao Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP) contra José Genoino, ex-deputado e ex-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), por falas consideradas antissemitas.

O requerimento, apresentado ao MPF-SP na segunda-feira (22), pede que Genoino seja investigado por racismo e incitação ao crime. O objetivo é que o órgão remeta a investigação à Polícia Federal (PF).

A Conib solicitou, ainda, medidas cautelares para que a live seja retirada do ar, e que Genoino seja impedido de voltar a fazer comentários com o mesmo teor, por “ser uma forma de incitação ao ódio contra os judeus”.

À CNN, o MPF-SP confirmou o recebimento da representação, que será distribuída a um procurador da República. Ele fará a análise preliminar dos fatos e definirá os próximos passos.

“Por enquanto, não há investigação formal instaurada sobre o assunto. A abertura ou não de procedimento depende da análise preliminar que será feita”, afirmou o MPF-SP.

O que Genoino disse

Em uma live realizada no último sábado (20) nas redes sociais, Genoino sugeriu boicote contra “empresas de judeus” após empresários da comunidade judaica divulgarem um abaixo-assinado contra o apoio do Brasil à investigação de Israel por genocídio.

“Essa ideia da rejeição, essa ideia do boicote por motivos políticos, que fere o interesse econômico, é uma forma interessante. Inclusive ter esse boicote a determinadas empresas de judeus”, disse Genoino na transmissão.

Ele ainda afirmou que o país deveria deixar de fazer negócios com o governo israelense. “Há, por exemplo, boicote a empresas vinculadas ao estado de Israel. Inclusive eu acho que o Brasil deveria cortar as relações comerciais na área da segurança e na área militar com o estado de Israel”, afirmou durante live.

Após os comentários, a Conib repudiou as declarações. A confederação classificou a fala como antissemita e destacou que o antissemitismo é crime no Brasil.

“O boicote a judeus foi uma das primeiras medidas adotadas pelo regime nazista contra a comunidade judaica alemã, que culminou no Holocausto”, diz a nota.

A Conib fez um apelo ainda às lideranças políticas brasileiras pedindo moderação e equilibro em relação ao conflito no Oriente Médio. E destacou que “falas extremadas e em desacordo com a tradição da política externa brasileira” podem importar as tensões daquela região ao nosso país.Ex-deputado diz não ser antissemita

Em nota, José Genoino disse não ser antissemita e afirmou que o boicote a que se referiu na transmissão ao vivo diz respeito “às empresas que apoiam o governo de Israel na guerra contra o povo palestino”.

“Apresento meu repúdio à nota da Conib (Confederação Israelita do Brasil) e afirmo que não sou e nunca fui antissemita. Repudio, também, qualquer tipo de preconceito contra o povo judeu e defendo a existência de dois Estados”, disse Genoino.

“Temos a obrigação de denunciar, em todas as oportunidades, o genocídio do governo de Israel contra o povo palestino. Tenho defendido, incansavelmente, o cessar-fogo, a paz entre os povos e a solidariedade ao povo palestino. Em relação ao termo ‘boicote’, usado por mim, reafirmo que defendo o boicote às empresas que apoiam o governo de Israel na guerra contra o povo palestino”, concluiu o ex-parlamentar.

CNN
VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM DOAÇÕES DE QUALQUER VALOR ATRAVÉS DO PIX:EMAIL:JORNALDADIREITAONLINE@OUTLOOK.COM

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n