Corte de Haia proíbe o ditador Maduro de invadir território da Guiana Corte de Haia proíbe o ditador Maduro de invadir território da Guiana Corte de Haia proíbe o ditador Maduro de invadir território da Guiana Pular para o conteúdo principal

Corte de Haia proíbe o ditador Maduro de invadir território da Guiana

Em decisão nesta sexta-feira (1°), a Corte Internacional de Justiça (CIJ), em Haia, proibiu que a Venezuela inicie uma ofensiva militar contra a Guiana com o objetivo de anexar a região de Essequibo, rica em petróleo. O tribunal também ordena que o plebiscito proposto pelo país comandado por Nicolás Maduro para decidir se disputará o território seja cancelado.

De acordo com a CIJ, as circunstâncias “apresentam um sério risco de a Venezuela adquirir e exercer o controle e a administração do território em disputa no presente caso”.

– Conclui-se, portanto, que existe um risco de prejuízo irreparável ao direito reivindicado pela Guiana no presente processo, que a Corte considerou como sendo o direito de propriedade da Guiana. Além disso, a Corte considera que a disposição expressa da Venezuela de tomar medidas com relação ao território em disputa neste processo a qualquer momento após o referendo agendado para 3 de dezembro de 2023 demonstra que há urgência na ação – disse a instituição.

Um dos questionamentos que está no referendo planejado pelo governo venezuelano, contudo, é justamente se o país deve reconhecer a autoridade do tribunal de Haia. O plebiscito está previsto para o próximo domingo (3).

Ao reagir à decisão da Corte, Maduro se mostrou irredutível. O comentário foi feito em postagem no X, antigo Twitter.

– O nosso país caracteriza-se pelas suas mulheres e homens corajosos. Não deixaremos que ninguém nos tire o que nos pertence, nem trairemos os nossos princípios. Defenderemos Essequibo! – escreveu.

Essequibo é uma área de 160 mil quilômetros quadrados e corresponde a dois terços do território da Guiana. A disputa pela região se acirrou após a descoberta do petróleo e gás no local.

Pleno News

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n