Desgoverno Lula quer retomar o uso do BNDES para financiar obras no exterior Desgoverno Lula quer retomar o uso do BNDES para financiar obras no exterior Desgoverno Lula quer retomar o uso do BNDES para financiar obras no exterior Pular para o conteúdo principal
;

Desgoverno Lula quer retomar o uso do BNDES para financiar obras no exterior

Depois de o Brasil ter tomado um calote de US$ 1,1 bilhão (mais de $ 5 bilhões) por meio do financiamento de obras no exterior pelo BNDES, autorizadas nos governos petistas, até 2015, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva pretende retomar a modalidade de empréstimo suspensa nos governos de Michel Temer e de Jair Bolsonaro.

Segundo a Folha de S.Paulo, o governo Lula enviará ainda nesta segunda-feira, 27, ao Congresso Nacional um projeto de lei para autorizar o BNDES a financiar obras e outros serviços prestados por empresas brasileiras no exterior.


Nas gestões petistas, o BNDES financiou US$ 10,5 bilhões em obras em 15 países, notadamente ditaduras comunistas ou países governados pela esquerda, mas até hoje Cuba, Moçambique e Venezuela não pagaram a dívida, num calote total de US$ 1,1 bilhão, sendo US$ 260 milhões de Cuba, US$ 120 de Moçambique e US$ 723 milhões da Venezuela. Os dados estão no site do BNDES.

Esse valor já foi pago ao BNDES pelo Fundo de Garantia à Exportação, ou seja, com o dinheiro do contribuinte brasileiro. Os três países ainda têm US$ 722 milhões em dívidas a vencer.

Esses empréstimos foram alvo das Lava Jato, já que a maioria das obras eram tocadas pelas empreiteiras envolvidas no Petrolão, como a Odebrecht e a OAS. Em Cuba, foi construído o Porto de Mariel, cuja inauguração teve a presença da ex-presidente Dilma Rousseff; na Venezuela, o dinheiro brasileiro financiou o metrô de Caracas e outras obras.
O que prevê o projeto de Lula para financiar obras no exterior pelo BNDES

De acordo com a Folha, o diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, José Luis Gordon, disse que o banco já discutiu o conteúdo do projeto com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Esse órgão indicou a inclusão de uma cláusula para proibir a concessão de novos financiamentos a países inadimplentes com a República Federativa do Brasil como forma de blindar o governo petista contra críticas.

Esse item foi incluído no projeto, assim como uma exceção: se houver uma renegociação formal da dívida pendente, o Brasil poderá voltar a financiar obras pelo BNDES.

Gordon também disse à Folha que o financiamento à exportação de serviços não beneficia países, mas sim as empresas brasileiras. “O dinheiro entra na empresa brasileira em reais. Isso vai gerar emprego e renda no Brasil”, afirma. Segundo ele, não há subsídios envolvidos, uma vez que as taxas cobradas são as de mercado.

Gordon afirma que a decisão do Executivo de submeter a proposta ao Congresso Nacional é justamente uma forma de tentar vencer as resistências. Para ele, a retomada da linha é um eixo importante da agenda de “neoindustrialização” defendida pelo governo, sobretudo pelo vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), que também é ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.
No Congresso, tramitam projetos para barrar financiamentos

Desde que Lula assumiu o cargo e começou a reaproximar o Brasil de Venezuela e Cuba, por exemplo, deputados e senadores apresentaram projetos para proibir empréstimos internacionais.

“Nesses casos, o contribuinte brasileiro acaba sendo penalizado, pagando por uma obra que não beneficiou diretamente o país”, afirmou o deputado Mendonça Filho (União-PE), autor de um dos projetos para impedir o financiamento de obras no exterior, proposta.

Na Câmara também tramita uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do deputado Daniel Freitas (PL-SC) para permitir que os parlamentares possam barrar operações realizadas no exterior.

Revista Oeste

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado