Após livro fazer sucesso, Filha de Lampião processa Tiago Pavinatto e pede indenização absurda Após livro fazer sucesso, Filha de Lampião processa Tiago Pavinatto e pede indenização absurda Após livro fazer sucesso, Filha de Lampião processa Tiago Pavinatto e pede indenização absurda Pular para o conteúdo principal
;

Após livro fazer sucesso, Filha de Lampião processa Tiago Pavinatto e pede indenização absurda

Expedita Ferreira Nunes, filha de Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, e Maria Gomes de Oliveira, a Maria Bonita, processou o apresentador Tiago Pavinatto por danos morais e direito de imagem. A informação foi confirmada pelo Estadão, que teve acesso ao processo, nesta quarta-feira, 22.


Expedita pede uma indenização de R$ 245 mil de Pavinatto e da editora Almedina, responsável pela publicação de Da Silva: a Grande Fake News da Esquerda: o Perfil de um Criminoso Conhecido e Famoso Pela Alcunha Lampião. O apresentador fez uma série de publicações nas redes sociais e defendeu o conteúdo. Leia mais abaixo.

Em nota enviada ao Estadão, Pavinatto informou que ele e a editora ainda aguardam a citação. Conforme o apresentador, ele soube do processo ao fazer uma busca judicial por seu nome.

A ação corre no Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (TJSE). A reportagem contatou a editora responsável pelo livro para um pronunciamento, que disse que aguarda a citação do processo.

Em comunicado à reportagem, os advogados de Expedita alegaram que a intenção não é censurar o livro, já que muitas publicações tratam da história de Lampião e Maria Bonita, e que Pavinatto estaria se utilizando deste argumento para alavancar as vendas.

“O que a família identifica, é que há uma tentativa de uma pessoa radicalizada em associar a figura de Lampião ao grupo político que ele rejeita, ou que não tem simpatia. Essa ligação não tem fundamento histórico ou sociológico. O fenômeno do cangaço data do início do século 20, num sertão dominado por Coronéis, e seria impossível associá-lo a qualquer figura política dos nossos tempos”, escreveu a equipe jurídica da filha de Lampião.


Ainda conforme os advogados, o objetivo do processo é “resguardar os fatos históricos” e “assegurar a devida retratação aos familiares de Lampião”. “Destacamos que a família Ferreira tem atuado ativamente para coibir qualquer tentativa de exploração comercial desautorizada dos nomes de Lampião e Maria Bonita e reiteramos nosso compromisso em continuar a proteger a memória e o legado dessas figuras históricas”, escreveram.

O apresentador fez uma série de publicações citando o caso nas redes sociais. Em seu canal no YouTube, Pavinatto se pronunciou sobre o caso. Segundo ele, o teor do processo lhe foi informado por um jornalista de Sergipe, já que não teve acesso aos autos e nem à petição inicial. Expedita acusa o apresentador de macular o nome e a honra de Lampião.

No vídeo, Pavinatto reforça o conteúdo do livro e usa termos como “ladrão”, “psicopata” e “estuprador”. O apresentador ainda comentou sobre um pedido por um prólogo e uma retratação nas redes sociais, o que ele se nega a realizar.

“Você está pedindo retratação para a pessoa errada. Eu não sou pessoa de se retratar”, disse no vídeo. Os advogados de Expedida frisaram que a retratação, o prólogo e a retirada dos adjetivos usados pelo apresentador seriam exigidos pela família apenas após o julgamento.

A filha de Lampião também pede para que o livro seja reescrito sem adjetivações, sob pena de multa diária no valor mínimo de R$ 500. O apresentador defendeu que realizou uma pesquisa para escrever a publicação e disse que se negará a reescrevê-la.

Em comunicado à reportagem, o apresentador argumentou que o motivo do processo seria um “excesso de linguagem”, e não os fatos expostos no livro. “Nada do que escrevi foi tirado do meu sentir; tudo está embasado na vasta bibliografia informada no livro”, escreveu.

Fonte: MSN

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado