Terroristas do Hamas mantém 150 israelenses e 2 milhões de palestinos como reféns Terroristas do Hamas mantém 150 israelenses e 2 milhões de palestinos como reféns Terroristas do Hamas mantém 150 israelenses e 2 milhões de palestinos como reféns Pular para o conteúdo principal
;

Terroristas do Hamas mantém 150 israelenses e 2 milhões de palestinos como reféns

Cobrado pela oposição, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por meio do Ministério das Relações Exteriores, divulgou uma nota para explicar por que não classifica o grupo terrorista Hamas como terrorista.

A nota diz:


“Em aplicação dos princípios das relações internacionais previstos no Artigo 4º da Constituição, o Brasil repudia o terrorismo em todas as suas formas e manifestações.

“No tocante à qualificação de entidades como terroristas, o Brasil aplica as determinações feitas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, órgão encarregado de velar pela paz e pela segurança internacionais, nos termos do Artigo 24 da Carta da ONU.

“O Conselho de Segurança mantém listas de indivíduos e entidades qualificados como terroristas, contra os quais se aplicam sanções. Estão incluídos o Estado Islâmico e a Al-Qaeda, além de grupos menos conhecidos do grande público.

“A prática brasileira, consistente com a Carta da ONU, habilita o país a contribuir, juntamente com outros países ou individualmente, para a resolução pacífica dos conflitos e na proteção de cidadãos brasileiros em zonas de conflito – a exemplo do que ocorreu, em 2007, na Conferência de Anápolis, EUA, com relação ao Oriente Médio.”


É muito conveniente terceirizar a questão para a ONU. Mas meias verdades podem ser meias mentiras. A verdade que foi omitida e implica mentira é que o Hamas é amigo do PT e até saudou a vitória de Lula na última eleição com entusiasmo, chamando-o de “lutador pela liberdade” (sim, sobretudo a dele).

Para o Hamas, a de Lula foi “uma vitória para todos os povos oprimidos ao redor do mundo, particularmente o povo palestino, pois ele é conhecido por seu forte e contínuo apoio aos palestinos em todos os fóruns internacionais.”

Difícil deixar um amigo desses na mão. E toca Lula bancar o equilibrista, condenando o terrorismo sem citar os terroristas. Pressionado, ele o fez uma única vez, até o momento, para dar uma no cravo do Hamas e outra na ferradura de Israel, tentando igualar ambos no quesito sequestro e mortes de crianças.

Quanto a essa conversa de “a prática brasileira contribuir para a resolução pacífica dos conflitos e na proteção de cidadãos brasileiros”, é uma desculpa andrajosa do Itamaraty.

Para começar, a referência à Conferência de Anápolis é despropositada. Ela reuniu mais de 40 países, por iniciativa do então presidente americano George W. Bush, e teve como protagonistas, do lado ocidental, países que consideram o Hamas um grupo terrorista. Quem representou os israelenses e os palestinos foram, respectivamente, o presidente Mahmoud Abbas, da Autoridade Palestina, e o então primeiro-ministro Ehud Olmert. O Hamas não participou, mas tentou atrapalhar.

Juntamente com o Irã, o Hamas quis que se fizesse um boicote à Conferência de Anápolis, afirmando que se tratava de um espetáculo midíatico feito para promover os interesses de Israel. De qualquer forma, a conferência não deu em nada, a não ser para o governo brasileiro, 16 anos depois, tirar o nada da cartola.

Segundo ponto: que raio de proteção a cidadãos em zonas de conflito é essa? O Hamas assassinou três brasileiros em Israel. Terroristas não costumam pedir passaporte antes de perpetrar carnificinas, embora haja nacionalidades mais visadas do que outras — e a brasileira certamente continuará entre as mais insípidas, não importa se o Brasil acha que alhos são bugalhos ou vice-versa. O governo brasileiro está repatriando cidadãos, assim como os outros que consideram o Hamas terrorista.

Essa conversa também de que o Hamas faz parte da solução de criação de um estado palestino ao lado do estado judaico é descomplicadamente ridícula. O Hamas é empecilho para a existência de um estado palestino. Como mostrado no artigo imediatamente anterior, os seus facínoras querem destruir Israel, não admitem a sua existência — e as atrocidades que eles cometeram na semana que termina não poderia ter deixado o objetivo mais explícito. Não sou eu quem digo, são eles.

Os petistas e demais esquerdistas pró-Hamas estão indignados com a mão pesada de Israel sobre Gaza. Por que não mostraram a mesma indignação com os assassinatos cometidos pelos monstros que invadiram território israelense? O antissemitismo da esquerda é indisfarçável.

A imprensa está inundando os celulares, computadores e televisores mundo afora com imagens dos bombardeios em Gaza. A imprensa, com ou sem viés, faz o seu trabalho. Mas não percamos de vista: era o que o Hamas queria.

As mortes de civis palestinos na resposta israelense são ótima propaganda para os terroristas incendiarem o Oriente Médio e a Europa, enchendo praças com muçulmanos que queimam a bandeira de Israel — e murchando a normalização de relaçōes diplomáticas que Tel-Aviv vinha tecendo com os países árabes.

O Hamas trucidou bebês judeus em Israel e quer exibir bebês palestinos mortos por bombas israelenses em Gaza. Bebês não deveriam ser assassinados pelas mãos de ninguém. Quem está matando gente dos dois lados, porém, é o Hamas. Creditem aos terroristas as 500 crianças mortas até agora no bombardeio de Gaza. Elas serviram como escudos humanos, assim como civis adolescentes e adultos.

Israel disse aos habitantes do norte de Gaza que eles devem ir para o sul. Pretende bombardear o norte até o subsolo, onde os terroristas construíram uma rede de túneis do tamanho da do metrô de Londres. O Hamas quer que todos permaneçam no norte para continuar usando-os como escudos.

O grupo terrorista mantém 150 israelenses e 2 milhões de palestinos como reféns em Gaza. Mesmo que um acordo para libertar os israelenses seja selado, com intermediação da Turquia e do Catar, a paz na região só será alcançada quando o Hamas for eliminado e o regime dos aiatolás iranianos chegar ao seu fim. O Irã é que patrocina a porcaria toda, na sua geopolítica do mal. Não adianta terceirizar para a ONU, o Brasil torna-se cúmplice ao não classificar essa corja com o seu verdadeiro nome.

Mário Sabino/ Metrópole

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado