Pai israelense faz relato emocionante após a morte da filha em ataque terrorista do Hamas Pai israelense faz relato emocionante após a morte da filha em ataque terrorista do Hamas Pai israelense faz relato emocionante após a morte da filha em ataque terrorista do Hamas Pular para o conteúdo principal
;

Pai israelense faz relato emocionante após a morte da filha em ataque terrorista do Hamas

Em um brutal ataque perpetrado por terroristas do Hamas no Kibutz Be’eri, uma tragédia vitimou mais de 100 pessoas. No entanto, um pai, Thomas Hand, experimentou um sentimento de alívio ao receber a notícia da morte de sua filha, Emily Hand, de 8 anos, durante o ataque, preferindo essa dolorosa realidade à possibilidade de sua filha ter sido sequestrada. O ataque ocorreu por volta das 7h de sábado, em Israel.


“Eles acabaram de me informar que encontraram Emily e que ela estava morta, e eu disse que sim! Sim!, e sorri… porque essa é a melhor notícia entre as possibilidades que existiam. “Essa era a melhor possibilidade que eu esperava”, disse o pai do menor, entre lágrimas, em entrevista à CNN .

Nesse cenário de horror, o Kibutz testemunhou quase 12 horas de confronto intenso entre as Forças Armadas israelenses e o Hamas. Após a operação, Hand enfrentou dois angustiantes dias de incerteza quanto ao destino de Emily, sem saber se ela havia sido sequestrada ou vítima de um ato atroz. Emily havia ido dormir na casa de uma amiga que também residia no Kibutz.

“Eles apenas disseram: ‘Encontramos Emily. Ela estava morta ou em Gaza. E se você sabe alguma coisa sobre o que eles fazem às pessoas em Gaza, isso é pior do que a morte ”, disse Hand, originário da Irlanda.


O correspondente da Fox News, Trey Yingst, descreveu o local como “o inferno na terra” e relatou que algumas estruturas aparentavam ter sido atingidas por granadas e explosivos. Yingst também descreveu cenas angustiantes de quartos “cobertos de sangue”, onde moradores foram assassinados em suas camas, e relatou casos de vítimas decapitadas.

Em um relato chocante, o Ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, reiterou a brutalidade do ataque perpetrado pelo Hamas, compartilhando os horrores que presenciou após visitar o Kibutz Be’eri.

O ministro detalhou as atrocidades cometidas pelos terroristas do Hamas, incluindo o relato de que sobreviventes do Holocausto foram queimados vivos, crianças foram baleadas, e meninas foram vítimas de estupro violento, sequestro ou assassinato. Além disso, Gallant enfatizou a determinação de Israel em erradicar o Hamas e responsabilizar todos os envolvidos por esses crimes horrendos.


Em consonância, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, prometeu que as lideranças do Hamas seriam eliminadas pelas Forças Armadas de Israel.

Be’eri, que já foi um assentamento próspero, tornou-se um símbolo sombrio da ofensiva do Hamas. Criado em 6 de outubro de 1946, o Kibutz manteve seu modelo cooperativo em contraste com muitas outras comunidades que passaram por privatizações.

Durante uma visita guiada à cidade, o exército israelense exibiu para os jornalistas a devastação resultante dos ataques do Hamas. As ruas se transformaram em escombros, residências foram carbonizadas, e a narrativa de moradores brutalmente massacrados criou uma paisagem desolada.

O major-general Itai Veruv, veterano das Forças Armadas israelenses, descreveu a cena como um massacre e um pogrom, comparando-a aos ataques brutais contra judeus na Europa Oriental no passado.

“Havia crianças na mesma sala e alguém veio e matou todas elas. Quinze meninas e adolescentes, colocaram no mesmo quarto, jogaram uma granada de mão e acabou”, declarou o major-general Itai Veruv.

Veruv, que retornou ao serviço militar após ser convocado no sábado para liderar as operações de recuperação nas cidades atacadas, destacou como os combatentes do Hamas ocupavam esconderijos nas ruínas, atacando surpreendentemente as tropas israelenses enquanto avançavam de casa em casa.

“Cada vez que pensávamos que havíamos limpado a área e tudo estava tranquilo, de repente saíam mais 12 ou mais 20”, disse ele.

Gazeta Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n

Thiago Pavinatto se pronuncia após saída da Jovem Pan

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22) . A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Em alguns posts nas redes o apresentador comentou o seguinte: "Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência. Essa é a versão oficial da minha saída da Jovem Pan. — Pavinatto (@Pavinatto) August 23, 2023

Herói sem capa: Policial enfrenta sozinho trio de criminosos que mantinham família refém e salva todos, (Veja o Vídeo)

Imagens de câmera de monitoramento mostram o momento em que um brigadiano sozinho salva um casal e uma criança feitos reféns durante assalto na noite de terça-feira (1º) em Estância Velha.  O confronto aconteceu uma agropecuária na Rua Walter Klein, no bairro Bela Vista. Nas cenas, o policial militar aparece armado em uma área externa da agropecuária. Em seguida, dois criminosos saem segurando as vítimas, que são seguidas por um cordeiro. "Foi uma situação inédita para mim", diz policial que salvou família refém de assalto em agropecuária de Estância Velha Criminoso que morreu após ser baleado durante assalto com reféns em Estância Velha usava tornozeleira eletrônica No momento em que os criminosos se aproximam de um carro estacionado em frente ao local, o policial se distancia em meio à rua. Os criminosos tentam embarcar com os reféns, mas o agente dispara um tiro em direção ao carro. O delegado de Estância Velha, Rafael Sauthier, explica que uma policial teria chegado