O objetivo ambicioso do PL para 2024 O objetivo ambicioso do PL para 2024 O objetivo ambicioso do PL para 2024 Pular para o conteúdo principal

O objetivo ambicioso do PL para 2024


 
O PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, tem uma meta ambiciosa para as eleições municipais de 2024: eleger até 1.500 prefeitos em todo o Brasil. Uma marca próxima a isso, na história recente, só foi atingida pelo MDB –mostram dados compilados pelo Poder360 


Segundo Valdemar Costa Neto, presidente da legenda liberal, um “time de peso” será responsável por alavancar os resultados da sigla nas esferas municipais. O 1º turno do pleito será daqui a 1 ano, em 6 de outubro de 2024.

Na última eleição municipal, em 2020, o PL elegeu 349 prefeitos em todo o Brasil –alçando o comando de mais 52 cidades na comparação com 2016, quando havia eleito 297 chefes municipais.

O MDB foi a legenda com maior domínio nas cidades brasileiras, com 797 prefeituras. A sigla, no entanto, perdeu comandos na comparação com a última eleição (em 2016, havia eleito 1.044). Na sequência do ranking, aparecem PP (701) e PSD (662).




Apesar de ter alguma relevância no cenário amplo nacional, o PL teve desempenho tímido em 2020 no chamado G96. O grupo reúne as mais importantes cidades do país: as 26 capitais onde são realizadas eleições municipais + os municípios com número de eleitores superior a 200 mil. É onde a disputa realmente se dá, com a realização de 2º turno. Nesse recorte, o Partido Liberal conseguiu o comando de só duas grandes cidades.

O PSDB domina nos grandes centros, comandando 18 cidades. É seguido do MDB, do PSD e do DEM (que se fundiu com o PSL e virou União Brasil), com 16, 10 e 10 eleitos, respectivamente, no grupo dos grandes municípios.




"Vamos bater recorde nas eleições de 2024”, escreveu Valdemar Costa Neto em seu perfil no Instagram em 17 de junho. “Somos a legenda que mais cresce no Brasil, e com a força dos nosso parlamentares e de Bolsonaro, iremos fazer mais de 1.500 prefeitos nas próximas eleições”, disse o presidente do PL.

Com Bolsonaro como vitrine do PL, eventuais alianças pragmáticas pelo país podem ficar prejudicadas. Costa Neto, que já se aliou a governos petistas no passado, agora precisa se ater às preferências e ao discurso do ex-presidente.

Quando o PT aprovou uma resolução em agosto que, dentre outras coisas, abria brechas para alianças com o PL em 2024, Valdemar disse que essa possibilidade não existe: “Não existe nenhuma hipótese de coligação com o PT”.



O Brasil está a 1 ano da disputa eleitoral que elegerá chefes do Executivo em 5.568 cidades, além de cerca de 58.000 vereadores. São 152 milhões de eleitores brasileiros aptos a votar. O 1º turno será em 6 de outubro de 2024. O 2º, se necessário, em 27 de outubro.




FONTE: Poder 360


 
O PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, tem uma meta ambiciosa para as eleições municipais de 2024: eleger até 1.500 prefeitos em todo o Brasil. Uma marca próxima a isso, na história recente, só foi atingida pelo MDB –mostram dados compilados pelo Poder360 


Segundo Valdemar Costa Neto, presidente da legenda liberal, um “time de peso” será responsável por alavancar os resultados da sigla nas esferas municipais. O 1º turno do pleito será daqui a 1 ano, em 6 de outubro de 2024.

Na última eleição municipal, em 2020, o PL elegeu 349 prefeitos em todo o Brasil –alçando o comando de mais 52 cidades na comparação com 2016, quando havia eleito 297 chefes municipais.

O MDB foi a legenda com maior domínio nas cidades brasileiras, com 797 prefeituras. A sigla, no entanto, perdeu comandos na comparação com a última eleição (em 2016, havia eleito 1.044). Na sequência do ranking, aparecem PP (701) e PSD (662).




Apesar de ter alguma relevância no cenário amplo nacional, o PL teve desempenho tímido em 2020 no chamado G96. O grupo reúne as mais importantes cidades do país: as 26 capitais onde são realizadas eleições municipais + os municípios com número de eleitores superior a 200 mil. É onde a disputa realmente se dá, com a realização de 2º turno. Nesse recorte, o Partido Liberal conseguiu o comando de só duas grandes cidades.

O PSDB domina nos grandes centros, comandando 18 cidades. É seguido do MDB, do PSD e do DEM (que se fundiu com o PSL e virou União Brasil), com 16, 10 e 10 eleitos, respectivamente, no grupo dos grandes municípios.




"Vamos bater recorde nas eleições de 2024”, escreveu Valdemar Costa Neto em seu perfil no Instagram em 17 de junho. “Somos a legenda que mais cresce no Brasil, e com a força dos nosso parlamentares e de Bolsonaro, iremos fazer mais de 1.500 prefeitos nas próximas eleições”, disse o presidente do PL.

Com Bolsonaro como vitrine do PL, eventuais alianças pragmáticas pelo país podem ficar prejudicadas. Costa Neto, que já se aliou a governos petistas no passado, agora precisa se ater às preferências e ao discurso do ex-presidente.

Quando o PT aprovou uma resolução em agosto que, dentre outras coisas, abria brechas para alianças com o PL em 2024, Valdemar disse que essa possibilidade não existe: “Não existe nenhuma hipótese de coligação com o PT”.



O Brasil está a 1 ano da disputa eleitoral que elegerá chefes do Executivo em 5.568 cidades, além de cerca de 58.000 vereadores. São 152 milhões de eleitores brasileiros aptos a votar. O 1º turno será em 6 de outubro de 2024. O 2º, se necessário, em 27 de outubro.




FONTE: Poder 360

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n