Oposição no Congresso em Pé de Guerra Anuncia Medidas Drásticas Contra Decisões do STF Oposição no Congresso em Pé de Guerra Anuncia Medidas Drásticas Contra Decisões do STF Oposição no Congresso em Pé de Guerra Anuncia Medidas Drásticas Contra Decisões do STF Pular para o conteúdo principal

Oposição no Congresso em Pé de Guerra Anuncia Medidas Drásticas Contra Decisões do STF

Líder da oposição, senador Rogério Marinho anuncia obstrução da pauta (TV Senado/Reprodução)

Deputados e senadores da oposição anunciaram na terça-feira (26) sua intenção de obstruir a pauta do Congresso Nacional em protesto contra decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF). Isso ocorreu em resposta ao avanço de pautas consideradas progressistas, como a descriminalização do aborto e da maconha, a reintrodução do imposto sindical e a revogação do marco temporal das terras indígenas.

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), destacou que a obstrução representa uma “demonstração de insatisfação” devido ao “abalo” nas relações entre os poderes. Ele enfatizou a necessidade de debater esses assuntos dentro do Legislativo, como representante do povo brasileiro.

A obstrução é um recurso parlamentar usado para impedir a votação de projetos, incluindo pronunciamentos, solicitações de adiamento de debates e a saída do Plenário para evitar o quórum.

A decisão foi anunciada durante uma coletiva de imprensa que contou com a presença de representantes da direita, como os deputados Carla Zambelli (PL-SP) e Nikolas Ferreira (PL-MG), os senadores Magno Malta (PL-ES) e Carlos Portinho (PL-RJ) e membros da bancada ruralista, como a senadora Tereza Cristina (PP-MS).

Além disso, Marinho informou que apresentará uma proposta de plebiscito nacional sobre a descriminalização do aborto, para a qual já obteve 45 assinaturas, superando o mínimo exigido de 27. Durante a coletiva, a deputada Priscila Oliveira (PL-SP), que está grávida, fez um discurso com uma miniatura de um feto nas mãos.

A mobilização dos conservadores representa uma resposta às decisões do STF que, na visão deles, afetam valores morais e tradicionais. A presidente da Corte, Rosa Weber, colocou em pauta ação relacionada à descriminalização do aborto, votando a favor da interrupção da gravidez até a 12ª semana na última sexta-feira. O ministro Luís Roberto Barroso pediu destaque, suspendendo o julgamento, que agora seguirá para o plenário presencial.

A Corte também está analisando a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, com um placar de 5 votos favoráveis e 1 contrário, até que o ministro André Mendonça solicite vista do processo.

Por fim, o julgamento do marco temporal causou irritação, especialmente entre os membros da bancada ruralista. Essa tese estabelece que uma área só pode ser demarcada se os povos indígenas comprovarem que a ocupavam até 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição. A medida foi considerada inconstitucional por 9 votos a 2 pelos ministros do STF.

Gazeta Brasil
Líder da oposição, senador Rogério Marinho anuncia obstrução da pauta (TV Senado/Reprodução)

Deputados e senadores da oposição anunciaram na terça-feira (26) sua intenção de obstruir a pauta do Congresso Nacional em protesto contra decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF). Isso ocorreu em resposta ao avanço de pautas consideradas progressistas, como a descriminalização do aborto e da maconha, a reintrodução do imposto sindical e a revogação do marco temporal das terras indígenas.

O líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), destacou que a obstrução representa uma “demonstração de insatisfação” devido ao “abalo” nas relações entre os poderes. Ele enfatizou a necessidade de debater esses assuntos dentro do Legislativo, como representante do povo brasileiro.

A obstrução é um recurso parlamentar usado para impedir a votação de projetos, incluindo pronunciamentos, solicitações de adiamento de debates e a saída do Plenário para evitar o quórum.

A decisão foi anunciada durante uma coletiva de imprensa que contou com a presença de representantes da direita, como os deputados Carla Zambelli (PL-SP) e Nikolas Ferreira (PL-MG), os senadores Magno Malta (PL-ES) e Carlos Portinho (PL-RJ) e membros da bancada ruralista, como a senadora Tereza Cristina (PP-MS).

Além disso, Marinho informou que apresentará uma proposta de plebiscito nacional sobre a descriminalização do aborto, para a qual já obteve 45 assinaturas, superando o mínimo exigido de 27. Durante a coletiva, a deputada Priscila Oliveira (PL-SP), que está grávida, fez um discurso com uma miniatura de um feto nas mãos.

A mobilização dos conservadores representa uma resposta às decisões do STF que, na visão deles, afetam valores morais e tradicionais. A presidente da Corte, Rosa Weber, colocou em pauta ação relacionada à descriminalização do aborto, votando a favor da interrupção da gravidez até a 12ª semana na última sexta-feira. O ministro Luís Roberto Barroso pediu destaque, suspendendo o julgamento, que agora seguirá para o plenário presencial.

A Corte também está analisando a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, com um placar de 5 votos favoráveis e 1 contrário, até que o ministro André Mendonça solicite vista do processo.

Por fim, o julgamento do marco temporal causou irritação, especialmente entre os membros da bancada ruralista. Essa tese estabelece que uma área só pode ser demarcada se os povos indígenas comprovarem que a ocupavam até 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição. A medida foi considerada inconstitucional por 9 votos a 2 pelos ministros do STF.

Gazeta Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n