"Não coloque palavras na minha boca", diz Mendonça a Moraes durante julgamento "Não coloque palavras na minha boca", diz Mendonça a Moraes durante julgamento "Não coloque palavras na minha boca", diz Mendonça a Moraes durante julgamento Pular para o conteúdo principal

"Não coloque palavras na minha boca", diz Mendonça a Moraes durante julgamento


 
O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), rebateu uma acusação do relator Alexandre de Moraes, nesta quinta-feira, 14, segundo a qual Mendonça teria dito que Flávio Dino, da Justiça, seria o responsável pelo 8 de Janeiro.

“Não ponha palavras na minha boca”, disse Mendonça. “Não sou advogado do ministro da Justiça.”

Moraes, Zanin e Gilmar interrompem Mendonça

Cristiano Zanin, Moraes e Gilmar Mendes interromperam o voto de André Mendonça quando ele dizia que os manifestantes do 8 de Janeiro não teriam condições de aplicar um golpe de Estado, por si só. Isso porque não possuíam meios para tal, que caberiam às Forças Armadas.

Zanin, então, inicia a primeira interpelação, sobre as intenções dos réus. Mendonça responde: “Eles não agiram para tentar depor o governo. A deposição dependeria de outra força”.

Moraes entra em cena para discordar do voto. Mendonça aproveita para citar a falta de segurança no Palácio do Planalto, no dia da manifestação. Isso porque, quando era ministro da Justiça do governo Bolsonaro, tinha conhecimentos de possíveis situações de instabilidade.

Em determinado momento, Moraes afirma que Mendonça sugere que a culpa do 8 de Janeiro é do ministro da Justiça, Flávio Dino. “Não ponha palavras na minha boca”, rebate Mendonça. “Tenha dó Vossa Excelência. Não sou advogado de ninguém.”

Gilmar Mendes faz uma intromissão para acusar o ministro Nunes Marques de uma fala negada pelo próprio ministro, na sequência, em plenário. “A cadeira onde o senhor está, ministro Nunes Marques, estava na rua”, disse Gilmar. “Não disse nada disso, ministro Gilmar”, rebate Nunes Marques.


FONTE: Revista Oeste

VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM DOAÇÕES DE QUALQUER VALOR ATRAVÉS DO PIX:EMAIL:JORNALDADIREITAONLINE@OUTLOOK.COM

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n