Governo Lula se cala diante do assassinato de policiais em SP Governo Lula se cala diante do assassinato de policiais em SP Governo Lula se cala diante do assassinato de policiais em SP Pular para o conteúdo principal

Governo Lula se cala diante do assassinato de policiais em SP

O primeiro escalão do governo Lula permanece sem se pronunciar diante dos recentes ataques a policiais no Estado de São Paulo. Desde o feriado de 7 de Setembro, ao menos dois agentes de segurança foram assassinados, enquanto outros foram baleados.

Os mais recentes crimes contra policiais somaram duas mortes e três agentes baleados.

O sargento Eduardo Sabatini Junior, da Polícia Militar de São Paulo (PMSP), morreu ao ser atingido na cabeça pelo disparo de uma arma de fogo. Ele atendia, em pleno Dia da Independência, a uma ocorrência a respeito de um homem em surto no município de Itirapina, no interior paulista.

Na sexta-feira 8, o sargento aposentado Gerson Antunes Lima, de 55 anos, morreu ao ser baleado enquanto varria a calçada de sua casa, em São Vicente, na Baixada Santista. Em duas motos, criminosos se aproximaram e efetuaram diversos tiros.

Outros ataques criminosos nos últimos dias deixaram mais uma pessoa morta e dois policiais militares baleados na Baixada Santista. Os agentes permaneciam internados até a terça-feira 12, segundo a PMSP.

Até o momento, porém, nenhum membro do primeiro escalão do governo federal se manifestou sobre o caso. O Ministério da Justiça e Segurança Pública, sob comando de Flávio Dino, e o Ministério de Direitos Humanos e Cidadania, sob direção do sociólogo Silvio Almeida, estão na lista de pastas que não emitiram notas sobre o assassinato de policiais.

Nas redes sociais de Almeida, as postagens mais recentes são uma nota de apoio à decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, que anulou conteúdos das delações de ex-executivos da empreiteira Odebrecht. Enquanto ignora assassinatos de policiais, o ministro fez questão de registrar que considera a Operação Lava Jato como a “maior farsa judicial da história do Brasil”.



Em um retuíte de Dino, Almeida mostra que está acompanhando o ministro da Justiça em viagem ao Chile. A dupla está no país andino desde segunda-feira 11, onde participa de eventos alusivos aos 50 anos do golpe militar local.

Dino, por sua vez, depois dos mais recentes assassinatos de policiais, só repostou matérias sobre o depoimento de uma policial militar do Distrito Federal referente ao 8 de janeiro. No site oficial do Ministério da Justiça e Segurança Pública, não há nenhuma nota sobre os atentados contra policiais de São Paulo.





Integrantes do governo Lula, Almeida e Dino criticaram ações de policiais contra criminosos

Sem manifestações públicas sobre mais duas mortes de policiais, Almeida e Dino, integrantes do primeiro escalão do governo Lula, criticaram abertamente o trabalho desenvolvido pela Operação Escudo. Deflagrada pela PMSP na Baixada Santista depois do assassinato do cabo Patrick Bastos Reis, das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), em 28 de julho. Em 40 dias, a ação foi responsável por prender 958 bandidos e apreender quase 1 tonelada de drogas. No período, 28 criminosos, que entraram em conflito com policiais, acabaram mortos.

Quando a Escudo estava no terceiro dia de operação — ocasião em que registrava dez mortes de criminosos —, Almeida acionou a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos para acompanhar as mortes em decorrência das operações policiais. De acordo com o ministro, policiais foram alvo de “denúncias graves.”

“O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania acompanha com atenção o caso da operação policial que vitimou ao menos dez pessoas no Guarujá (SP)”, disse Almeida, na ocasião. “As denúncias são graves e merecem ser apuradas com rigor.”

No início de agosto, Dino também se pronunciou sobre a Operação Escudo, mesmo antes de conversar com o governador Tarcísio de Freitas. O ministro da Justiça também criticou a ação policial. “Houve uma reação imediata que não parece nesse momento ser proporcional em relação ao crime que foi cometido.”

O retorno da Operação Escudo

Os ataques contra policiais exigiram uma nova tomada de ação do secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), Guilherme Derrite. Ele informou que novas medidas para combater a investida dos criminosos na Baixada Santista.

No mesmo dia em que o sargento aposentado foi morto, a PMSP retomou a Operação Escudo, segundo nota da SSP-SP na noite de segunda-feira 11.

“Desde sexta-feira realizamos uma nova edição da Operação Escudo, como pronta resposta aos ataques sofridos aos policiais militares na Baixada Santista”, comunicou a SSP-SP.



FONTE: Revista Oeste
VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM DOAÇÕES DE QUALQUER VALOR ATRAVÉS DO PIX:EMAIL:JORNALDADIREITAONLINE@OUTLOOK.COM

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n