Barraco na Lacrosfera Barraco na Lacrosfera Barraco na Lacrosfera Pular para o conteúdo principal

Barraco na Lacrosfera

 


O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e o jornalista André Trigueiro, da GloboNews, discutiram nesta quarta-feira (6/9) após Leite ser questionado sobre as previsões meteorológicas após a passagem de um ciclone no estado do RS que deixou 37 mortos no estado.


Durante a entrevista, Eduardo Leite explicou que os modelos matemáticos previram as chuvas e intensidade no estado, mas não o volume de cerca de 30 milímetros em diversas bacias hidrográficas. O jornalista, por sua vez, se espantou com a informação e destacou que o mesmo discurso seria utilizado por outros políticos, mesmo com situações semelhantes se repetindo há anos.

André foi interrompido pelo governador do RS, que não gostou do comentário e afirmou que o comentarista mostrou "falta de empatia" com o estado. Leite seguiu: "Você quer colocar a culpa em mim porque falei sobre modelos matemáticas que não apontaram a precipitação prevista?". O jornalista respondeu: "A pergunta que eu lhe fiz não remete a apertar botões. Falei de cultura de prevenção que não necessariamente se resolve em quatro anos apertando botão".

O psdbista destacou ainda que a questão trazida seria apenas sobre chover mais do que a previsão climática feita por modelos matemáticos. “É claro que sempre tem mais o que fazer. É claro que tem que aperfeiçoar, mas nós estamos aqui trabalhando, tentando salvar vidas, tentando reestabelecer a ordem aqui nessas cidades enquanto tu estás comentando as coisas. É o teu papel como comentarista fazer a cobrança, mas estamos fazendo o trabalho para salvar as vidas dessas pessoas, e não apenas fazer críticas e apontar e dizer e falar para um e para outro. Estamos fazendo todo um esforço de transição energética, mas a gente não aperta um botão e resolve as coisas da noite para o dia”, disse o governador.

Postagens mais visitadas deste blog

Gigante atacadista fechará suas últimas 24 lojas e encerrará suas atividades no Brasil

A rede atacadista Makro encerrará suas atividades no Brasil, fechando as últimas 24 lojas ainda em atividade no país. Foram 50 anos de história em solo brasileiro, ultrapassando a marca de 50 lojas espalhadas por vários estados. Nos últimos anos, a empresa repassou 30 lojas para o Atacadão, captando R$ 1,95 bilhão com a venda. Agora, a empresa contratou o Santander para encontrar um comprador para as lojas remanescentes e espera obter R$ 2 bilhões, de acordo com o Estadão. A rede Makro é administrada pelo grupo holandês SHV que desistiu de competir com outras redes atacadistas disponíveis no Brasil. Além desta razão, segundo a reportagem, é que a matriz já deixou de atuar como varejista na Europa há mais de 20 anos e também está encerrando suas lojas na Ásia e na África. Pleno News

Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau: “Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, vagabundos”; ASSISTA AO VÍDEO

O velório das quatro crianças que morreram no ataque à creche em Blumenau ocorre ao longo desta quinta-feira (6), na cidade catarinense.  Durante uma entrada ao vivo do repórter Felipe Sales na TV Globo em frente ao cemitério, um homem interrompeu a transmissão. “O sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês, seus vagabundos”, disse, batendo palmas ao lado do repórter. Homem interrompe Globo ao vivo em velório de crianças em Blumenau e dispara: ‘Sangue do meu sobrinho está nas mãos de vocês’ #GloboLixo pic.twitter.com/xfW7xnxPWl — SAM - The Detective of ZV 🕵🏻‍♂️ (@Samhds2) April 6, 2023

Jovem Pan baixa a cabeça e demite Thiago Pavinatto, (Veja o Vídeo)

O apresentador Tiago Pavinatto, do programa Linha de Frente e Os Pingos nos Is, foi demitido da Jovem Pan nesta terça-feira (22). A demissão ocorreu após o advogado e comentarista político se recusar a pedir desculpas a um desembargador que foi chamado por ele de “vagabundo tarado”. Nesta segunda (21), Pavinatto comentou a decisão do desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), de ter inocentado um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. Exaltado com a notícia, Pavinatto ofendeu o magistrado e, mesmo a emissora pedindo para que ele se desculpasse, o profissional se negou. – A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira e eu não vou fazer. E eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação para uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo, e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda – declarou. E continuou: – Eu me nego a fazer. Estou sendo cobrado insistentemente a me retratar. Eu n