Hipocrisia Remunerada: Professoras de SC criticam volta às aulas, mas viajam ao Nordeste
Caso queira nos ajudar a manter nosso site faça uma doação diretamente, através do PayPal, clique no botão abaixo

Hipocrisia Remunerada: Professoras de SC criticam volta às aulas, mas viajam ao Nordeste



Professoras da rede municipal da cidade catarinense de Itajaí foram criticadas nas redes sociais após publicarem fotos em que curtiam viagens durante o recesso escolar, que foi antecipado por conta da pandemia de Covid-19.

As críticas foram feitas, principalmente, por pais de alunos que questionaram o fato das educadoras defenderem uma greve por causa do momento pandêmico.

Nas imagens, uma das servidoras aparece com diversas outras professoras do município em uma praia do Nordeste. O caso envolvendo as profissionais da rede de educação de Itajaí foi publicado pela deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL-SC) em sua conta no Instagram, na terça-feira (27).


Bastou a Prefeitura de Itajaí antecipar o recesso das aulas devido às pressões criadas por parte dos profissionais da educação do município para a hipocrisia vir à tona: uma professora, que militava nas redes sociais pela instauração da greve contra a volta às aulas publicou nas mesmas redes sociais algumas fotos onde aparece com outras colegas de profissão curtindo umas “férias pandêmicas” em diversas praias do Nordeste – escreveu.



De acordo com o jornal local Diarinho, que publicou o ocorrido, a denúncia teria sido realizada por um leitor, pai de um aluno que precisou ficar em casa graças por conta da antecipação do recesso das aulas. O homem teria encaminhado fotos onde a professora manifestava seu apoio à greve pela paralisação das aulas.

– Quer dizer que lá não tem Covid? Na foto tem várias professoras. Aí pararam as creches um mês pra quê? Salário garantido, tudo certo para eles – questionou o pai.

A Secretaria da Educação do município declarou que irá investigar o caso para adotar “medidas cabíveis”, e esclareceu que o recesso escolar não deve ser confundido com férias. A pasta fez questão de ressaltar que “os profissionais da Educação devem ficar à disposição da secretaria”.

*Pleno News 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem