No STF, Mendonça se senta ao lado de Moraes. Saiba o motivo!
Caso queira nos ajudar a manter nosso site faça uma doação diretamente, através do PayPal, clique no botão abaixo ou através do PIX EMAIL: pordentrodapolitica2022@gmail.com

No STF, Mendonça se senta ao lado de Moraes. Saiba o motivo!


Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal (STF) em julho, André Mendonça tomou posse na Corte nesta quinta-feira (16). E, no plenário, um fato curioso chamou a atenção. Mendonça assumiu a cadeira ao lado do ministro Alexandre de Moraes.

A razão para isso, de acordo com a assessoria do STF, é que a posição dos ministros na Corte é definida pelo tempo em que cada um deles está no Supremo.

O ministro mais antigo, chamado de decano, senta-se na primeira cadeira localizada à direita do presidente da Corte. Já o segundo ministro mais antigo senta-se na primeira cadeira à esquerda do presidente do STF.

Na sequência, está o terceiro ministro mais antigo, que se senta na segunda cadeira do lado direito da presidência da Corte, ao lado do decano. Em frente a ele, senta-se o quarto ministro mais antigo da Corte, na segunda cadeira à esquerda do presidente.

A ordem vai seguindo até chegar ao ministro mais novo da Corte, que se senta na quinta cadeira à esquerda do presidente do Supremo.

Na composição atual do STF, a ordem é a seguinte:

Gilmar Mendes – 1ª cadeira à direita do presidente;
Ricardo Lewandowski – 1ª cadeira à esquerda do presidente;
Cármen Lúcia – 2ª cadeira à direita do presidente;
Dias Toffoli – 2ª cadeira à esquerda do presidente;
Rosa Weber – 3ª cadeira à direita do presidente;
Luís Roberto Barroso – 3ª cadeira à esquerda do presidente;
Edson Fachin – 4ª cadeira à direita do presidente;
Alexandre de Moraes – 4ª cadeira à esquerda do Presidente;
Nunes Marques – 5ª cadeira à direita do presidente;
André Mendonça – 5ª cadeira à esquerda do presidente.

A ordem das cadeiras na Corte só é alterada quando um dos ministros é afastado definitivamente ou quando ele assume a presidência do Supremo Tribunal Federal.

*Pleno News

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem