Deu ruim: Moro tem uma péssima notícia após tentar censurar vídeo do terça livre
Caso queira nos ajudar a manter nosso site faça uma doação diretamente, através do PayPal,

Deu ruim: Moro tem uma péssima notícia após tentar censurar vídeo do terça livre



O pré-candidato à Presidência, Sergio Moro (Podemos), perdeu na terça-feira (14) um processo na Justiça contra o jornal Terça Livre, de Allan dos Santos, que encerrou as atividades em outubro.

O ex-ministro da Justiça pedia a remoção do vídeo “O PT quer derrubar André Mendonça?”, publicado no YouTube em 29 de julho de 2020.

Na ação, movida em 16 de agosto do mesmo ano, Moro diz que o material é “ofensivo à honra e à imagem do autor”. Porém, o juiz da 10ª Vara Cível da Comarca de Curitiba, Pedro Ivo Lins Moreira, considerou o pedido improcedente.

O magistrado também ordenou que Moro arque com os custos de honorários advocatícios do Terça Livre.

De acordo com o ex-juiz da Lava Jato, o vídeo do ex-canal do jornalista Alan dos Santos divulga “notícias falsas” contra ele. O ex-ministro também cita “críticas descabidas”.

Em um trecho do “Boletim da Manhã” de 29 de julho, o apresentador Fernando Melo diz que Moro “se tornou grande articulador dessa operação do Judiciário e da polícia” supostamente montada contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ele afirmou ainda que Moro ajudou a estabelecer em Brasília “um poder paralelo” enquanto foi ministro da Justiça de Bolsonaro.

Depois do encerramento das atividades do Terça Livre, o canal do YouTube –e, consequentemente, o vídeo citado– foram removidos da plataforma. Tal operação foi realizada mais de 1 ano depois da ação movida pelo ex-juiz federal.

A peça continua no ar pelo canal do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).


*Gazeta Brasil

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem