Bolsonaro diz que "Apoiadores esperavam que eu fosse chutar o pau da barraca" "Imagina o problema que seria"
Caso queira nos ajudar a manter nosso site faça uma doação diretamente, através do PayPal, clique no botão abaixo

Bolsonaro diz que "Apoiadores esperavam que eu fosse chutar o pau da barraca" "Imagina o problema que seria"

Foto/Reprodução/ Revista Veja 



Em entrevista à revista Veja, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a carta escrita pelo ex-presidente Michel Temer e que sinalizou uma trégua do chefe do Executivo com o Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro ainda comenta, na entrevista publicada nesta sexta-feira (24) e realizada ontem (23), sobre as manifestações do 7 de Setembro e que apoiadores dele esperavam que ele jogasse fora das 4 linhas da Constituição.

Ao ser questionado se a crise com o Judiciário está superada, o presidente respondeu:


“Não sou o Jairzinho paz e amor, mas a idade dá certa maturidade. Depois das manifestações de 7 de setembro, houve a reação do STF. Teve o telefonema do Temer, ele falou para mim: “O que a gente pode fazer para dar uma acalmada?”. Respondi que o que eu mais queria era acalmar tudo. Acabou o 7 de Setembro, é um movimento, talvez um dos maiores do Brasil, o povo está demonstrando espontaneamente o que quer, como liberdade. Então ele (Temer) falou que tinha umas ideias. “Você pode falar para mim?” “Eu prefiro conversar pessoalmente.” “É um prazer.” Mandei um avião da Força Aérea trazer ele para cá, ele trouxe uns dez itens, mexemos em uma besteirinha ou outra, duas ou três com um pouquinho mais de profundidade, estava bem-feito, casou com o meu pronunciamento e divulguei”.

Em outra parte, o presidente foi perguntado sobre críticas feitas por parte de seus apoiadores em cima da nota, vista como um recuo por eles:

“Esperavam que eu fosse chutar o pau da barraca. Você imagina o problema que seria chutar o pau da barraca. Eu não convoquei a manifestação. 

Eu vinha falando que estamos lutando por liberdade e comecei a falar uns quinze dias antes que estaria na Esplanada e em São Paulo. Mas em São Paulo, quando eu falei em negociar, eu senti um bafo na cara. Extrapolei em algumas coisas que falei, mas tudo bem”.

O repórter da Veja também questionou Bolsonaro sobre o que seria “chutar o pau da barraca”:

“Queriam que eu fizesse algo fora das quatro linhas. E nós temos instrumentos dentro das quatro linhas para conduzir o Brasil. Agora todo mundo tem que estar dentro das quatro linhas. O jogo é de futebol, não é de basquetebol. Não vou mais entrar em detalhes porque quanto mais pacificar melhor”.

Fonte: Gazeta Brasil

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem