A única forma de eu abandonar o presidente Bolsonaro é se eu souber que ele roubou
Caso queira nos ajudar a manter nosso site faça uma doação diretamente, através do PayPal, clique no botão abaixo

A única forma de eu abandonar o presidente Bolsonaro é se eu souber que ele roubou



Apoiadora do presidente Jair Bolsonaro, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) comentou sobre o caso Covaxin, se posicionando a favor do chefe do Executivo.

A presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara chegou a afirmar que só o abandonaria se soubesse de envolvimento dele em crimes de roubo.

Tenho informações internas de que o Planalto estava se mexendo após as informações do [deputado] Luis Miranda. Quem, dentro do Planalto, não vou abrir. A única forma de eu abandonar o presidente Bolsonaro é se eu souber que ele roubou ou algo nesse sentido de tentar roubar. Eu sei que erros existem. Às vezes a gente erra querendo acertar – disse Zambelli, em entrevista à Folha de S.Paulo.


A respeito da acusação de suposto crime de prevaricação cometido por Jair Bolsonaro, a deputada não entrou em detalhes, pelo risco de ser mal interpretada, mas reforçou que todos precisam ser investigados, inclusive Ricardo Barros.

– Não posso dizer uma coisa agora que pode ser mal interpretada mais pra frente. O que eu digo é: esse governo, até onde eu sei, vai fazer todo o possível para investigar quem quer que seja que tenha errado ou deixado errar. Ricardo Barros tem que ser investigado, assim como todos os outros – afirmou.

Zambelli tem ficado constantemente ao lado do presidente durante aparições públicas, lhe rendendo algumas críticas e apelidos indesejáveis. No entanto, afirmou não se incomodar.


– Quando me chamam de vassala, capacho, lambe-botas e outros adjetivos que dizem respeito a mim, não me incomodo […] vem aumentando o nível do ataque, conforme eu vou crescendo em pesquisas, em alcance nas redes sociais – disse.

A parlamentar também comentou sobre o episódio em que tirou a máscara para acompanhar Bolsonaro, que discutira com uma repórter.

– Tirei a máscara para mostrar que o presidente não está sozinho em diversos pensamentos dele, mas que eventualmente posso discordar de um outro termo que ele use no discurso – afirmou.

*Pleno News

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem